A SOLUÇÃO PARA SEU NEGÓCIO CRESCER ESTÁ EM VOCÊ

Você precisa apenas conhecer as estratégias e ferramentas necessárias para chegar lá.
Conheça meu método para automatizar seu processo de prospecção e trazer clientes sem parar.
pokemon go

Pokemon Go: O Segredo por Trás da Febre

Como um aplicativo em tão poucos dias virou febre no mundo e arrastou multidões? Saiba o que levou tanta gente a se tornar fanática por esse jogo.

Se preferir, assista ao vídeo:

Quem diria que um aplicativo tão simples, baseado em um jogo e desenho de anos atrás, teria um retorno tão surpreendente. O Pokemon Go já é mais utilizado do que WhatsApp, Instagram e Snapchat, segundo a BBC. Isso com apenas 15 dias de lançamento. E a palavra “pokemon go” já é mais pesquisada do que a palavra “pornografia”, segundo a mesma BBC.

Aparentemente já são mais de 21 milhões de usuários utilizando o aplicativo somente nos EUA. Fora isso, o download já está disponível em mais de 30 países.

Como se isso não bastasse, sua frequencia diária de uso é enorme, e as pessoas nos EUA estão utilizando em média por 43 minutos por dia. E o número que eu considero mais importante é o que foi fornecido pela SurveyMonkey, que diz que a cada 10 usuários, 7 voltam a utilizar no dia seguinte. É o dobro da média da indústria e o sonho de qualquer empresa.

De sobra, segundo o The Guardian, o valor das ações da Nintendo dobrou em apenas 7 dias. Isso é realmente incrível. (veja as imagens da Bloomberg).

valor da nintendo com o pokemon go

O que é o Pokemon Go?

O Pokemon Go é um aplicativo baseado no desenho do Pokemon, lançado em 2006, no Japão. O joguinho que começou no Game Boy, é hoje a segunda maior franquia de jogos, perdendo apenas para a franquia do Mário, também da Nintendo. Basicamente, existem diversos personagens do Pokemon, e cada um deles tem uma certa habilidade (algo como um super herói de formato estranho). Os seres humanos nos desenhos e nos jogos, pegavam esses Pokemóns e treinavam para que eles lutassem com outros Pokemóns, como num esporte.

Assim surgiu, 20 anos depois, o aplicativo Pokemon Go, onde as pessoas (nós) saímos atrás de Pokemons no meio da rua para pegá-los e treiná-los, para que eles lutem com outros Pokemóns (nossos amigos).

Ou seja, um desenho se transformou em um jogo real, jogado no ambiente real, que são as cidades onde vivemos. É por essa razão que estamos vendo vídeos de tantas pessoas correndo juntas atrás desses bichos ao redor do mundo.

Até aí tudo bem. O aplicativo é legal, novidade, etc, mas como eles fizeram para crescer tanto? É isso que fui pesquisar e trago aqui para você, caro amigo, para que você implemente em seu negócio também.

O Fator Mais Importante para o Crescimento de uma Empresa

O fator mais importante para uma empresa crescer é justamente o número de pessoas que voltam a utilizar o produto ou serviço no tempo mais curto. Ou seja, quantos usuários usam hoje e quantos voltam a utilizar amanhã? E mais, quantos desses chamam outras pessoas que também viram usuárias? Quem faz isso no menor tempo separa o sucesso do fracasso. Já falei sobre isso aqui.

Isso é o que chamamos de “Tempo do Ciclo Viral”. É o tempo necessário para uma pessoa utilizar e chamar outra.

Só para se ter uma ideia, se o ciclo viral do seu aplicativo é de 2 dias, isso significa que em 20 dias você terá 20.470 usuários. Mas se seu ciclo viral é de 1 dia, no mesmo período você terá 20 milhões de usuários. Ou seja, parece que o Pokemon Go está fazendo um excelente trabalho nessa parte.

Como falei antes, a cada 10 pessoas que são convidadas, 7 começam a usar o aplicativo. É aí que está o segredo. Mas como eles fizeram isso?

O Modelo do Gancho

Já falei aqui também sobre o modelo do gancho, que pode ser identificado em diversas empresas como Tinder, Snapchat ou Instagram. Esse modelo explica, em 4 passos, como fazer com que esse ciclo viral aconteça e como fazer para ele ser menor.

Nesse modelo, temos 4 passos: gatilho, ação, recompensa variável e investimento.

O gatilho pode ser dividido entre interno e externo. Normalmente, nós vemos uma propaganda de um produto ou vemos alguém compartilhando um produto dentro de uma rede social. Ou a propaganda ou o compartilhamento serve de gatilho externo para que nós tenhamos conhecimento daquele produto ou serviço.

No caso do Pokemon Go, claramente o gatilho externo está sendo ver multidões de pessoas sendo arrastadas para caçar esses bichinhos. Ou seja, ainda nem temos o aplicativo, mas já estamos curiosos em pelo menos saber como funciona.

Mas para o gatilho externo funcionar é preciso que ele ative um gatilho interno nas pessoas. Isso quer dizer que a empresa que criou o Pokemon Go provavelmente pensou em como fazer você utilizar o aplicativo através de um sentimento seu. A meu entender, o sentimento que eles utilizam se refere ao medo de não fazer parte do grupo ou de ficar sozinho. É isso que motiva as pessoas a usarem depois que viram as outras usando. E é isso que faz com que elas tomem a decisão de fazer o download do app. Esse é o momento da ação.

Depois da ação de baixar o app, temos a recompensa variável ou a expectativa por uma recompensa. No caso do Pokemon Go, temos algumas recompensas diferentes:

Recompensa da caça: procurar pokemons é como uma caça ao tesouro. E nós, humanos, fazemos isso há milhões de anos. Desde caçar animais para comer até trabalhar para gerar nosso sustento. São todas recompensas da caça. Ou seja, fazemos algo na expectativa de ganhar algo, só não sabemos exatamente o que e se vamos ganhar. Existem grandes exemplos disso, alguns de sucesso como jogos de azar, e alguns que fracassaram como Farm Ville (que apesar do sucesso inicial, sucumbiu por não ter mais novidades, ou seja, “tesouros” a serem descobertos). Esse talvez seja um dos maiores desafios do Pokemon Go, criar infinitas recompensas. Inicialmente, a maneira como estão fazendo isso é colocando Pokemons raros em localidades diferentes. Mas pode ser que em determinado momento isso não seja mais uma novidade, e aí o jogo para de crescer ou até mesmo some.

Dentro da recompensa da caça existe também aquelas recompensas por conhecer alguém. Já pudemos verificar exemplos de pessoas que começaram a namorar através do aplicativo. Simplesmente estavam andando na rua e começaram a conversar sobre o aplicativo, pois ambos estavam jogando. Ou seja, poderemos ver em breve pessoas tentando se conectar através do Pokemon Go.

Recompensa própria: existe outra recompensa que está sendo utilizada pela empresa que criou o jogo, que é a recompensa própria. Pelo que entendemos, você ganha pontos com os Pokemons que você pega e com as lutas que você ganha. Isso faz com que você tenha acesso a alguns personagens que outras pessoas não tem. Basicamente, a recompensa própria é mostrar para outras pessoas o quanto competente você é em fazer aquilo.

Recompensa da tribo: outra recompensa que eles conseguiram inserir no jogo é a recompensa da tribo, ou também chamada de social. Essa recompensa significa que, conforme você compartilha seus feitos, você busca validação social por parte das outras pessoas. Isso fará com que você busque essa validação social cada vez mais. Na recompensa social também podemos identificar o tempo que você passa com a família e amigos. Todos juntos fazendo a mesma coisa é também uma recompensa social.

E por último chega a fase do investimento por parte do jogador. O investimento é quando o usuário dedica tempo ou dinheiro para construir sua reputação dentro da plataforma. No caso do Pokemon Go, o tempo dedicado a busca por Pokemóns é um grande investimento. Como resultado, o usuário cria toda uma reputação dentro do jogo, ao qual ele não deseja abrir mão, ficando dentro do jogo por mais tempo, dificilmente trocando por um concorrente.

Substituindo Hábitos Antigos

Para um aplicativo ter sucesso na internet ele, normalmente, substitui de forma eficiente um hábito antigo. No caso do Pokemon Go, pudemos notar que ele com certeza vai substituir o hábito de conhecer pessoas mais facilmente. Já existe uma tendência para tentarmos nos conectar fora da internet. Diversas empresas tentaram criar redes sociais baseadas na localização, onde você encontra pessoas que estão próximas a você. A maioria fracassou, mas eu mesmo tenho usado o aplicativo do Google Campus, Beer or Coffee, onde você convida pessoas que estão dentro do Google Campus para tomar um café. É uma forma mais eficiente de se fazer networking e evita aquele desconforto que a maioria das pessoas têm em iniciar uma conversa com um desconhecido.

E podemos ver isso acontecendo com o mesmo exemplo que falei aqui anteriormente, sobre pessoas se conhecendo e iniciando um relacionamento. E se um aplicativo facilita essas coisas, ele tende a ter sucesso no longo prazo.

Inserindo Negócios na Plataforma

Outra tendência que vem acontecendo é a inserção de empresas na plataforma. Vimos muitos exemplos de lojas que estão faturando mais, por causa da movimentação de pessoas procurando por Pokemon dentro dos estabelecimentos. Esses estabelecimentos aproveitaram para comprar produtos digitais dentro da plataforma, e transformaram seus negócios em academia para pokemons (???). É isso mesmo. As academias são lugares onde os jogadores treinam seus bichinhos. E isso tem levado muitas pessoas para dentro de cafés e outras lojas. Além de gerar receita para a empresa que criou o jogo, a inserção de negócios na plataforma permite criar uma gama variada de recompensas. Ou seja, quanto mais recompensas variáveis, mais tempo as pessoas ficarão conectadas ao aplicativo.

Como Manter Esse Crescimento

Esse é o principal desafio da Niantic, criadora do jogo. Se no futuro em breve a empresa não tiver uma gama enorme de recompensas variáveis e crie camadas de recompensas em cima dos sentimentos que as pessoas estão tendo em usar o produto, dificilmente ele sobreviverá por muito tempo.

Uma das alternativas para a empresa é inserir cada vez mais negócios na plataforma, fazendo com que as empresas criem as recompensas para os usuários que estão usando o jogo em tempo real. Por se tratar de um jogo que acontece na rua, muitos negócios podem se beneficiar disso. Mas para isso eles precisam inserir o máximo de recompensas com o maior número de estabelecimentos, até que isso se torne um padrão de anúncio para os estabelecimentos. Desde que eles tenham retorno.

Outra alternativa para manter o crescimento é investir nessas relações entre pessoas que se conhecem ou se reencontram através do aplicativo. Esse caminho pode levar as pessoas a usarem o aplicativo por outras razões além da caça por pokemon.

Conclusão

Muitas empresas já tentaram criar essa relação entre o mundo online o mundo offline. A maioria fracassou já no segundo passo, que era criar os gatilhos e levar às pessoas à ação. Isso acontece porque a maioria deles não criou um maneira fácil de realizar a ação e os usuários não obtiveram recompensas claras que fizessem dar um passo adiante no uso do aplicativo. No entanto, o Pokemon Go passou com méritos por isso, chegando a criar grandes recompensas variáveis para seus usuários.

A pergunta que eu faço é: será que eles vão conseguir continuar criando recompensas variáveis e levar as pessoas ao passo de nunca mais abandonarem a plataforma?

Está aí o segredo do sucesso que eu não sei responder nesse momento.

Que dica você daria para a Niantic para que eles não sofram do efeito Farm Ville no longo prazo e percam tudo que construíram? Escreva nos comentários.

Sobre o autor do artigo

Rafael Neaime é empreendedor e consultor de Inbound Marketing e SEO, especialista em crescimento de empresas commarketing digital. Eterno aprendiz da vida.

Eu lancei um desafio de alcançar 200 mil fans no Facebook e 140 mil inscritos no Youtube em menos de um ano. Se deseja acompanhar esse desafio, aprender com meus erros e acertos no marketing digital ou até mesmo dar dicas e sugestões do que posso fazer, inscreva-se no meu canal no Youtube ou curta minha página no Facebook.

Acompanhe nas redes sociais: FacebookTwitterLinkedin e Instagram

Compartilhe